Calculadora do Cidadão – O que é? Como funciona

Ainda pouco conhecida entre a população, a Calculadora do Cidadão é uma ferramenta criada pelo Banco Central para ajudar na organização das finanças pessoais.

Estamos falando de um aplicativo que simula operações do cotidiano financeiro das pessoas, a partir de informações fornecidas pelo usuário. Ao usar a calculadora, é possível que os cidadãos estimem, por exemplo, os valores que devem ser pagos em relação às taxas de crédito.

Continue lendo para saber como utilizar e desfrutar de todas as funções que esta ferramenta possibilita, de forma totalmente gratuita.

O que é Calculadora do Cidadão?

De forma geral, a Calculadora do Cidadão pode ser entendida como um software criado pelo Banco Central, com o objetivo de facilitar uma série de operações financeiras mais complexas e comuns à rotina de muitas pessoas.

Ou seja, o aplicativo facilita a simulação de financiamentos, calcula o rendimento de investimentos e até mesmo corrige valores baseando-se na inflação, poupança, entre outros.

Para ter acesso à ferramenta, você pode acessar o site do Banco Central, ou, se preferir, basta instalar o app em seu smartphone (Google Play e App Store).

Lembrando que o sistema é bastante intuitivo, o que torna seu funcionamento prático e fácil, inclusive para as pessoas que não estão familiarizadas com termos financeiros e operações matemáticas.

Como funciona a Calculadora do Cidadão?

Como já mencionamos, a Calculadora do Cidadão é uma ferramenta grátis que disponibiliza diversos serviços para os cidadãos que desejam verificar, por exemplo, qual o retorno de determinada aplicação financeira ou mesmo quantas parcelas terão determinada dívida.

Também conseguimos entender melhor a cobrança de juros em uma dívida paga com o cartão de crédito. Além disso, a ferramenta ajuda a estimar também a correção de aportes nas Cadernetas de Poupanças, levando em consideração a evolução de alguns indicadores econômicos.

Porém, em contrapartida, vale ressaltar que a Calculadora não deve ser utilizada para discutir contratos bancários, tendo em vista que os cálculos apresentados representam valores referenciais e não correspondem efetivamente aos encargos e demais aspectos considerados na celebração do contrato.

De forma geral, a calculadora do Banco Central é amplamente empregada em cálculos que envolvem os juros compostos, facilitando, portanto, o entendimento sobre a tomada de decisões e estabelecimento de orçamentos no curto, médio ou longo prazo.

Entre as principais funcionalidades da ferramenta, estão:

  • cálculo de financiamento com parcelas fixas;
  • rendimento da poupança;
  • correção monetária;
  • aplicações com ou sem depósitos mensais.

Cálculos que podem ser feitos com a calculadora do cidadão

Saiba ainda que para usar a Calculadora do Cidadão, basta adicionar o índice das taxas e o valor das operações. Em seguida, o próprio sistema se encarregará de estimar os resultados automaticamente.

Veja alguns dos cálculos mais comuns que podem ser realizados online:

1. Índices de preços

Os índices de preços são indicadores estabelecidos para determinar a inflação. No caso da Calculadora do Cidadão, eles podem ajudar a corrigir valores a partir da inflação acumulada em um determinado período, considerando diferentes indexadores, como o IPCA-E, INPC, IPC, IGP-DI, IPC-SP, IPCA e IGP-M.

2. Taxa Referencial

A Taxa Referencial ou simplesmente TR, como é popularmente conhecida, nada mais é do que uma taxa de juros utilizada como referência para estabelecer a rentabilidade de alguns tipos de investimentos.

Não tão raro, a TR se mantém bem próxima à zero e, por isso, normalmente não se torna capaz de corrigir a inflação. Sendo assim, aplicações remuneradas com base nela tendem a ter um rendimento menos expressivo, tendo em vista que a inflação diminui o poder de compra.

3. Poupança

Para estimar o rendimento da poupança a partir da Calculadora, o sistema considera a data de aniversário do interessado. Afinal, a rentabilidade nesse tipo de aplicação se dá a cada 30 dias. Portanto, caso o investimento seja resgatado fora do prazo, não serão pagos o juro correspondente ao período.

4. Taxa Selic

Também chamada de taxa básica de juros, a Selic é um índice definido pelo Copom (Comitê de Política Monetária) e aplicado como valor de referência para diversas aplicações financeiras, sobretudo os investimentos de Renda Fixa, como o Tesouro Selic.

5. CDI

Por fim, os Certificados de Depósito Interbancário (CDI) são aplicados como referencial de lucro dos aportes de Renda Fixa que utilizam a taxa de CDI, como os CDBs pós-fixados. Nesses casos, a Calculadora corrige os valores desses investimentos.

Como fazer simulações usando a Calculadora do Cidadão?

Um dos seus destaques, a Calculadora do Cidadão pode ser aplicada para ajudar a entender melhor os riscos e benefícios de determinadas linhas de crédito, bem como contribuir para melhor tomada de decisão em relação às necessidades financeiras.

Por isso, ela é muito útil para estimar os custos de financiamentos, empréstimo pessoal e consignado, cheque especial, cartão de crédito, entre outros.

Gostou da dica? Deixe o seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.